O primeiro mata-mata da Liga dos Campeões da Europa, dia 12 de agosto, em Lisboa, é esperado como um jogo de muitos gols,  pelo retrospecto da italiana Atalanta e do francês PSG, que valorizam o futebol ofensivo. Com a goleada de 6 x 2 da noite de ontem (14) sobre o lanterna Brescia, em jogo isolado da abertura da rodada 33, a vice-líder Atalanta ficou a seis pontos da virtual eneacampeã Juventus (76 a 70), com incríveis 93 gols, média de 2.81 gols por jogo. Um furacão no caminho de Neymar.

MUITO FORTE – Alguns números de um time sem famosos, mas muito forte, impressionam: nos últimos 42 jogos, a Atalanta ganhou 25, marcando três gols ou mais em 10. Com 116 gols, só fez menos gols que os já campeões Bayern e PSG, ambos com o benefício do desnível técnico de seus campeonatos, e o Manchester City, mas com mais gols que Real Madrid, Barcelona e Liverpool. A Atalanta marca o triplo de gols com a bola em movimento (61) do que de falta ou de pênalti (18).

MUITO VELOZ – Outra caracteristica é a iniciativa, aliada à velocidade, como nos 6 x 2 da noite de ontem (14) no Brescia. O croata Mario Pasalic, de 25 anos, fez o primeiro aos dois minutos, e mais dois, em três minutos, no início do segundo tempo. Só que antes do intervalo, a Atalanta marcou três gols em cinco minutos, com o holandês Marten de Roon aos 25; o ucraniano Ruslan Malinoviskyi, de fora da área, aos 28, e o colombiano Duvan Zapata aos 30.

MUITO CRIATIVO – O técnico italiano Gian Piero Gasperin, de 62 anos, mantém o trabalho de mentalização, iniciado há quatro anos quando assumiu. Ele disse e repete aos jogadores: “Com a força da equipe todos ganham e o brilho individual aparece”. Dois desses bons exemplos, o meia Alejandro “Papu” Gomez, argentino de 32 anos, capitão do time, com 16 assistências e 6 gols, e o lateral-esquerdo Robin Gosens, holandês-alemão de 26 anos, que também joga na meia, com 10 gols e 8 assistências. 

MUITO OBJETIVO – A Atalanta marcou mais 26 gols que a Juventus (93 a 67), que tem Cristiano Ronaldo como referência, e supera a líder em 15 gols no saldo (50 a 35). Pouco antes dos 6 x 2 de ontem (14) no Brescia, o time ficou sem figura importante, o colombiano Luis Muriel,  atacante de 29 anos, que escorregou e bateu com a cabeça na borda da piscina, durante o almoço, e foi internado com traumatismo craniano. 

QUEDA DA BASTILHA – Os jogadores do PSG participaram ontem (14) da maior festa da França, a Tomada da Bastilha – 14/7/1789 -, que os historiadores consideram o marco da Revolução Francesa, provocada pela crise econômica e política do fim do século 18. Todos sorridentes, muito animados e em clima de descontração, com o técnico alemão Thomas Tuchel e o diretor brasileiro Leonardo Araújo. Sem jogo desde março, quando terminou o campeonato, o PSG está realizando amistosos.

PREOCUPAÇÃO – O Fundo de Investimento do Catar, que colocou 222 milhões de euros, de uma tacada só, na conta do Barcelona, para pagar a multa da rescisão do contrato de Neymar, vê a grande chance do PSG de se sobressair aos olhos do mundo, ao ganhar pela primeira vez a Champions League. A missão é muito além de complicada, em uma série de jogos sem retorno, na base do perdeu, sai, ao enfrentar um pelotão com atiradores de primeira, do calibre de Cristiano Ronaldo e Lewandowski, entre outros.

Justifica-se a preocupação do PSG, que não joga desde março, quando terminou o campeonato da França, enquanto a Atalanta segue em grande atividade e antes de enfrentar o campeão francês terá feito onze anos, melhorando o ritmo da equipe.

Fotos: Jonathan Moscrop/Getty Images), Esporte Interativo e Reprodução Instagram.