FICOU MUITO FEIO PARA O GOIÁS. Ao ser demitido ontem (28), depois de 19 jogos – 8 vitórias, 6 empates, 4 derrotas, saldo de 13 gols (38 a 25) -, deixando o time classificado para a Série A em 2022, o técnico Marcelo Cabo, carioca de 54 anos, negou com firmeza a informação do clube: “Não houve comum acordo, não. Fui demitido”. Pouco depois, o Goiás Esporte Clube corrigiu a versão incorreta que havia transmitido à imprensa e confirmou que demitiu o técnico.

CULPA DA CBF – Quem precisa usar todas as letras e assumir a culpa é a Confederação Brasileira de Futebol. Ao limitar a troca de técnico durante a temporada, a CBF deixou brecha na decisão, seguindo o jeitinho bem brasileiro, ao fazer a ressalva: “Salvo se a decisão for de comum acordo”. Era tudo o que os clubes queriam para usar o artifício e promover a farra da troca, conforme os resultados, para dar uma satisfação aos torcedores.

O REVERSO – Ficou faltando também que, na elaboração da medida, a Confederação Brasileira de Futebol incluísse o reverso da decisão, punindo o técnico paulista Vagner Mancini, que trocou três vezes de clube. Demitido do Corinthians em maio, acertou com o América Mineiro em junho e saiu para o Grêmio em outubro. Bom lembrar: em 2008, ao voltar do Al Nassr, da Arábia Saudita, Mancini assumiu o Grêmio e foi demitido após apenas quatro vitórias e dois empates.

A DECISÃO – O Goiás contratou Marcelo Cabo em 20 de julho, um dia após ser demitido do Vasco, e anunciou a demissão do técnico, ontem (28), justificando: “Nos últimos oito jogos, as coisas foram diferentes do que planejamos e entendemos que é o momento de voltarmos ao caminho das vitórias”. Nos últimos oito jogos a que se refere o clube, o Goiás ganhou três em casa; perdeu quatro como visitante, e o 0 x 0 do último jogo com o Londrina, no Paraná. 

SUBSTITUTO – O Goiás anunciou que o assistente Glauber Ramos, brasiliense de 46 anos, dirigirá o time nos seis jogos restantes. O próximo, com a Ponte Preta, terça (2), e os outros dois, também em Goiânia, com o líder Coritiba e o Brusque, na última rodada. Os jogos como visitante serão com Operário, Remo e Guarani.

Foto: Band UOL