O Vasco só precisa do empate no jogo de volta com o Defensa y Justicia, na próxima quinta (3), em São Januário, depois do 1 x 1 da noite de ontem (26), no estádio Norberto Tomaghello, em Florencio Varela, cidade da área metropolitana da Grande Buenos Aires, para disputar as quartas de final da Copa Sul-Americana com Union Santa Fé ou Bahia, que também terá a vantagem do empate no segundo jogo, na Argentina, depois de fazer 1 x 0 em Salvador. O gol como visitante é critério de desempate.

BEM JUSTO – Defensa y Justicia e Vasco fizeram jogo equilibrado, em que os gols só foram marcados no segundo tempo, e o empate foi bem justo. O Vasco marcou primeiro, em jogada bem trabalhada aos 17 minutos, com o passe do zagueiro Miranda para o cruzamento do lateral Leo Matos, completado com belo voleio do atacante argentino German Cano, de 32 anos. Aos 34 minutos, o atacante Braian Romero aproveitou bem a falha do zagueiro Miranda e empatou aos 34 minutos. Braian Romero, de29 anos, é jogador do Independiente, de Buenos Aires, que em 2019 o emprestou ao Athletico Paranaense, campeão da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana, embora só tenha feito 2 gols em 16 jogos.

NOVE ANOS – A melhor campanha do Vasco na Copa Sul-Americana foi em 2011, quando chegou à semifinal, eliminado pela Universidad do Chile. O time do 1 x 1 com o Defensa y Justicia, na noite de ontem (26) teve Lucão, Miranda (Marcelo Alves), Castan e Ricardo; Leo Matos, Marcos Jr, Pikachu (Carlinhos), Leo Gil (Bruno Gomes) e Neto Borges; German Cano (Catatau) e Gustavo Torres (Lucas Santos). Técnico – Ricardo Sá Pinto. O Vasco joga segunda (30), às 18 horas, em São Januário, com o Ceará.

BOM TÉCNICO – O Defensa y Justicia é treinado por Hernan Crespo, bom técnico argentino de 45 anos, atacante que brilhou entre 96 e 2012 na Inter, Lazio, Genoa, Milan, e é o maior artilheiro da história do Parma, com 84 gols em 174 jogos. Crespo disputou as Copas de 98, 2002 e 2006, e é o quarto goleador da seleção argentina – 70 jogos, 41 gols -, depois de Messi (65), Batistuta (56) e Aguero (36). Ele também foi campeão inglês no londrino Chelsea na temporada 2005-06.

ABSURDO – Enquanto a Associação do Futebol Argentino (AFA) estendeu na arquibancada uma grande bandeira do país para homenagear Maradona, a Confederação Sul-Americana de Futebol não permitiu que o Vasco também prestasse tributo ao craque. A justificativa não poderia ter sido mais estranha: “Foi algo que pegou a todos de surpresa e não houve tempo para incluir no protocolo do jogo, conforme determina o regulamento da Copa Sul-Americana”.

DOIS CARTÕES – Defensa y Justicia 1 x 1 Vasco transcorreu em nível disciplinar muito bom, sem faltas duras. Nenhum do Vasco foi advertido com cartão amarelo pelo árbitro Andrés Matonte, de 31 anos, professor de Educação Física e desde 2017 na Associação Uruguaia de Futebol. Os punidos foram o zagueiro Adonis Frias e o volante Nicolás Acevedo. 

Foto: REUTERS/Daniel Jayo